21 de fevereiro de 2009

reconstruir (1)

grua Começa a ser mais que tempo de partir para uma outra fase da luta dos professores, deixando, definitivamente, aos outros, a quem se meteu e nos meteu nisto, aos responsáveis pela vergonha, o triste assunto da avaliação docente. Temos que esquecer o indigno muro, erguido pela Tutela, que nos separou de modo quase irremediável. Professores e Titulares, em escalões do topo ou de baixo, com boas, más ou nenhumas perspectivas de subir, com mais ou menos terror do futuro, têm que se unir na reconstrução da escola, sem pruridos, sem amuos, sem sobrancerias, sem abatimentos. Esta nova fase caracteriza-se pelo reerguer de tudo o que esta equipa ministerial destruiu no sistema educativo. Trata-se, portanto, de proceder à reedificação da escola pública. Só nós. Contra tudo e contra todos. Não se acredite mais que esta reedificação possa ser dirigida pelo Ministério da Educação. Infelizmente, teremos que a fazer sem ele.

(Imagem daqui)

2 comentários:

Tony disse...

Mas isso, amigão, é fazer o jogo deles!
Os professores fazem a reconstrução do caos... e a tutela agradece, reconhecida.
Não será isso capitular duas vezes?
Abração.

joao de miranda m. disse...

Não tinha entendido isso desse modo. mas agora que reli o que escrevi, apetece-me concordar contigo. Transparece, sim, essa ideia que apontas. A intenção primitiva pressupunha uma espécie de expulsão de quem bagunçou. Porém, já um amigo meu, Santos Silva, que leu isto, me chamou a atenção exactamene no mesmo sentido em que tu chamas. Paciência. Tenho que reconhecer que talvez me tenha enganado. De boas intenções está a má blogosfera cheia... ehehehehe
Um grande abraço. Aproveito para te desejar um carnaval feliz.