19 de novembro de 2010

Embarco ou não?

rumosEstou farto de ouvir dizer que Portugal devia ter um rumo. Ora, eu acho que o melhor para Portugal não é ter um rumo, mas vários, para o caso de alguns falharem. Cavaco Silva (o que quer menos palavras) tem um rumo; Manuel Alegre (o que até preposições sabe usar, imaginem) diz ter um rumo. O outro candidato, de cujo nome não me lembro (mas isso não admira nada, porque na verdade ninguém se lembra), também propõe um rumo, apesar de ter a palavra fanhosa e usar óculos. Há ainda um outro candidato que nunca vi mas desconfio que existe e que também tem um rumo para Portugal.

Ora, partindo do são princípio de que cada um deles terá o seu rumo próprio e que não se enfiam todos no mesmo, temos quatro rumos, quatro palavrosos/lacónicos rumos para Portugal.

Proponho que sejam eleitos os quatro candidatos e que governem o país ao mesmo tempo, munidos de rumos naturalmente divergentes. Assim, os portugueses poderiam, depois de espreitar os quatro destinos, tentar perceber qual deles é o de férias. E embarcar nesse.

(Imagem daqui)

6 comentários:

odete ferreira disse...

"O outro candidato"
Suponho que não estás a lembrar-te de Fernando Nobre.
Há muita gente que se lembra dele e bem. A comunicação social lembra-se pouco e mal.
De certeza que, internacionalmente, há muita gente que o conhece.
Abraço
OF

Anónimo disse...

ehehehe
Olá. O primeiro "outro candidato" é o Nobre e o segundo "outro" é o candidato do PC. No caso, não vale muito a pena destrinçá-los porque ambos, e de modos semelhantes, sofrem o boicote quase sistemático da comunicação social. Não tens essa percepção? (De qqr modo, a minha intenção é anarquizar um pouco, já que, no topo do pessimismo, estou a ser acometido de alguma indiferença. Tou virando um quase monstro. "Nem mesmo a revolução é demasiado séria"...)
:)
Grande abraço.
jmm

Anónimo disse...

Mas se TU achas que é no Nobre que devemos votar, te garanto que, indubitavelmente, voto Nobre. (Só há um candidato em que não voto, mesmo que sejas tu a indicá-lo. :) )
jmm

Anónimo disse...

Eu tenho uma grande consideração pelo Fernando Nobre, o que já não acontece pelos "outros" do topo.
A comunicação social, dependendo dos seus patrões, é que, como sabes, cria e mata a seu belo prazer.
Quanto a tu virares um "quase monstro", não é possível. Bem,nas histórias das crianças, também há monstros bons!. Pessimista? Sim. Como todos nós.
OF

Anónimo disse...

Sempre oportuno..parabens
Já estou à espera do próxima... sim porque isto é como um medicamento está na hora de reforçar a leitura... estou curioso para o proximo assunto

Faty disse...

Amanhã são as eleições - 23 de Janeiro 2011. Vem a propósito, o texto:) Acho a tirada final hilariante. Tomei a liberdade de postar o teu blog (e este texto) no meu mural FB. Parabéns pela tua escrita. Inteligente e divertida, muito, muito bom. Bjs