18 de maio de 2012

Às voltas com a semiótica EDPiana

edp-continente“A EDP afirmou esta sexta-feira que as medidas anunciadas pelo Governo para o setor da eletricidade permitem «alcançar a necessária previsibilidade e estabilidade regulatória, de médio a longo prazo», tendo também impactos económico-financeiros a partir de 2014..”

Não entendi. Gostaria de vos poder explicar este discurso mas só ganho 1500 euros. Pedi a um amigo meu que ganha quase dois mil e nem ele foi capaz de o explicar convenientemente. Amanhã vou perguntar a um amigo meu reformado que ganha três mil euros.

Por um lado, «o ajustamento da taxa de juro aplicável à repercussão tarifária do montante anual da parcela fixa dos custos de manutenção do equilíbrio contratual (CMEC), no valor médio, para o período 2013 a 2027, de aproximadamente 13 milhões de euros por ano, o que corresponde a 120 milhões de euros em valor atual».

Voltei a não entender. Acredito que uma explicação cabal deste discurso só pode ser dada por um engenheiro hidráulico de olhos azuis ou um administrador de uma casa de passe bem situada, com ordenado superior a 3500 euros (embora só 500 declarados).

A elétrica nacional estima ainda que, em termos globais, «o impacto económico-financeiro para o grupo EDP, a partir do momento em que aquelas medidas produzam os seus efeitos (2014), corresponda aproximadamente a 1 por cento do EBITDA [resultado antes de juros, impostos, amortizações, depreciações] ou 2,5 por cento do EPS (lucro por ação) por ano».

Não percebi outra vez. Como pode um ignorante como eu ter direito à miragem de uma electricidade mais barata? Esta terceira parte do discurso exige a presença de um Nuno Rogeiro, um camionista de longo curso ou mesmo um director executivo de uma multinacional de implantes de silicone. Sou analfabeto funcional e devia era ficar às escuras.                                                 

(Itálicos tirados daqui)

   Post 836          (Imagem daqui)

4 comentários:

Fátima Laouini disse...

:):) Tão bom... o texto, claro. E tão solidária estive e estou que às escuras também fiquei - o écrã acabou de apagar por falta de bateria::))) É que também ganho pouco e não percebi nada...

Anónimo disse...

Os textos são muito bons, com muito humor geralmente, amargos algumas vezes. Prazeirosos de ler.
Terão acabado?

Anónimo disse...

Não, caro anónimo. De mim não se livra tão facilemente... :) Estou só a ganhar balanço. Um abraço.
joao de miranda m.

Anónimo disse...

...facilmente, é claro... :)
joao de miranda m.