5 de junho de 2009

Concurso de poesia

Poesia Fui convidado para júri de um concurso de poesia adolescente. Passei o fim-de-semana a ler imagens romanticistas de pimbosíssimo lugar-comum, cheias de luares fúlgidos e de pétalas macias, de perfumes oníricos e de corações e de maresias. Uma náusea.

Escolhi um que dizia assim:

À minha gaija boa…

“A prof de Química

pôs-nos lá fora

por causa da química

de quem namora…”

Fui excomungado por todos os papás e mamãs e definitivamente escorraçado de todos os júris de concursos passados e futuros até à quinta geração…

(E o pior é que o poema que fiz ganhar nem sequer tinha concorrido. Tinha sido infiltrado abusivamente por um aluno doidivanas e valdevinos…)

(Imagem daqui)

2 comentários:

Tony disse...

Estes pais de hoje não percebem nada de química...
Abração.

Anónimo disse...

eheheheeh

joao de miranda m.