6 de janeiro de 2012

povo que lavas no rio…

ze povinho 2O povo português é neoliberal e neo-estúpido.

Em primeiro lugar, fico obrigado a definir o que é o povo, já que se trata de um conceito muito elástico, Conceito-saco-de-sarapilheira, estica até o infinito, abarca quase tudo, desde o agricultor pobre ao assalariado miserável, do pequeno-burguês proletarizado ao profissional liberal sem crédito nem cliente, do comerciante atrapalhado ao padre-ide-em-paz, do professor-tá-bem-mas à prostituta-trinta-euros. Ecce lusum populum! E foi esse povo que, em todos os patamares votou neoliberalismo, em todas as barracas brandiu alaranjado pendão, em todos os andaimes clamou por Coelho. Tudo na esperança de uma enxerga mais mole, uma ração de aveia ou uma albarda nova.

O povo português é neoliberal e neo-burro. Meu bom povo, já estás de cilha e cabresto, dois grandes alforges te pendem do espinhaço. Já podes ir à bosta…

     Post 809  

1 comentário:

Fátima Laouini disse...

Hehehehehehehe

hehehehehe

hehehe

Genial!
Gosto de saber, que não votando coelho, não me tornei neo-jumenta.:) O que não invalida que não seja povo, ou não fosse prof a caminho da bancarrota, ai destino.
Por outro lado, vê-se realmente um povo de cócoras,
agachado, "abaixado", à espera de um valente coice. É caso para dizer Os burros também se abatem (parodiando o nome do filme They Shoot Horses, don´t they?) E foram abatidos com um tiro de caçadeira que não se destinava a um coelho, está bom de ver.

LOOOOOOL